Idosos usam a internet para compras?

Você usa a internet pra fazer compras? Se não for perguntar demais, qual a sua idade? Gostaríamos muito de saber se as pessoas 60+ sentem-se mais inseguras que os mais jovens para realizar compras na internet. Esta pesquisa nos esclareceu muita coisa.

Dois em cada dez idosos brasileiros usam a internet para fazer compras, mostra pesquisa do SPC Brasil. Principal meio de acesso é pelo smartphone e o relacionamento com família e amigos é a motivação mais citada para usar internet. Aplicativos de celular mais utilizados são de bancos, transporte e viagens.

Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) com idosos acima de 60 anos mapeou o estilo de vida dessa população e a sua relação com a tecnologia, e mostra que mais da metade das pessoas da terceira idade (53,9%) acessam a internet, sendo que 39,3% a utilizam diariamente e dois em cada dez (19,1%) usam para compras online. Os eletroeletrônicos (51,2%), eletrodomésticos (43,1%) e viagens (41,9%) são os itens mais comprados pela internet.

 
Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, a pesquisa sugere que ainda há oportunidades significativas para ampliar o comércio eletrônico entre as pessoas com mais de 60 anos. “A adesão ainda relativamente baixa mostra que é preciso engajar mais o público da terceira idade, propondo meios para facilitar seu acesso a esse canal de venda”, explica. “Além disso, linhas de produtos específicos para os idosos, em áreas facilmente acessíveis, poderiam proporcionar uma melhor experiência e estimulá-los a se interessar mais pelas compras online.”

 
Principais aplicativos: bancos, transporte e viagens
O levantamento identificou que o uso de smartphones para se conectar entre os idosos já é maior do que o de aparelhos mais tradicionais. 61,1% utilizam os smartphones, 53,6% usam os computadores tradicionais de mesa, 37,7% o notebook e 11,4% o tablet.
Ainda que o smartphone seja o principal meio utilizado para se conectar, o uso de aplicativos para esse aparelho ainda não é significativo. Praticamente cinco em cada dez pessoas entrevistadas (47,9%) possuem celular, mas não usam nenhum app no dia a dia, contra 27% que usam.

Os apps mais frequentes são:

  • transações bancárias (11,8%),
  • serviços de transporte individual (8,4%) e
  • de viagens (6,3%).A pesquisa mostra que entre as principais motivações para o uso da internet estão o relacionamento com familiares (62,9%), amigos (59,8%), a busca por notícias sobre economia, política, esportes e moda (47,8%), e informações sobre produtos e serviços (43,0%).

Entre as redes sociais e aplicativos de celular mais utilizados pelas pessoas da terceira idade estão:

  • Facebook (77,3%),
  • WhatsApp (73,5%)
  • Youtube (39,8%).

Idosos dão nota 7,7 para a própria saúde:
O levantamento do SPC Brasil e CNDL também mapeou o estilo de vida das pessoas da terceira idade e sua relação com questões referentes à saúde, beleza e lazer.

Em relação à saúde, o resultado é positivo. 96,3% dos entrevistados afirmam manter algum cuidado, principalmente através de consultas médicas (54,5%), manter os exames em dia (49,3%) e evitar alimentos gordurosos (43,6%).

Como consequência desses cuidados, a auto avaliação para a própria saúde teve uma nota média de 7,7, em uma escala de 1 a 10.

No entanto, quase metade dos idosos brasileiros (48,9%) não possuem um plano de saúde. O percentual que chega a 60,9% entre os pertencentes às classes C, D e E, ficando totalmente dependente da saúde pública e de consultas particulares.
Entre os entrevistados que praticam alguma atividade física (30,9%), a caminhada é a atividade mais recorrente (80,2%). Em média, os exercícios físicos são realizados 4 vezes por semana.
Em relação aos cuidados para se sentirem mais bonitos e confiantes:

  • 77,6% têm algum cuidado com este objetivo,
  • alimentação saudável (41,4%)
  • visitar regularmente o médico (35,9%) e
  • pintar o cabelo (30,7%).

A média da nota atribuída à aparência física, em uma escala de 1 a 10, também equivale a 7,7.

A pesquisa revela ainda que:

  • 35,2% fazem tratamentos e atividades físicas para viver mais tempo
  • 11,6% dos idosos brasileiros fazem tratamentos para retardarem os efeitos do envelhecimento
  • 9,7% gastariam tudo o que tivessem para parecerem mais jovens.

Na categoria “lazer”, percebe-se que os entrevistados da terceira idade gostam de diversas atividades e apenas 3% não fazem nada.

  • Ver televisão (59,1%),
  • ouvir música (32,9%) e
  • navegar na internet (27,1%) são as atividades mais frequentes

25,2% dos entrevistados passam boa parte do tempo com amigos.
Segundo a economista-chefe do SPC Brasil é válido pensar em estratégias e ações de marketing que ofereçam novas oportunidades para esse público. “Os empresários devem pensar em novos produtos e serviços que possam despertar o interesse dos idosos, além de atividades que viabilizem a interação entre as pessoas. Este é um público que tem disposição e tempo para investir em si mesmo e em seus relacionamentos”, explica Kawauti.

Metodologia
Foram entrevistados 619 consumidores com idade acima de 60 anos de ambos os gêneros e de todas as classes sociais nas 27 capitais brasileiras. A margem de erro é de no máximo 3,9 pontos percentuais para um intervalo de confiança a 95%. Isso significa que em 100 levantamentos com a mesma metodologia, os resultados estarão dentro da margem de erro em 95 ocasiões.

vignoli

José Penteado Vignoli

Educador Financeiro e Porta Voz do SPC Brasil

e colaborador do Terceira Idade

www.meubolsofeliz.com.br

email: vigplan@uol.com.br